Nesta entrada rememoramos a definnição e a determinação de elementos homólogos por uma homografia (perspetividade para começar). Para exemplo, tomamos uma perspetividade entre duas pontuais {Ai ∈ a : i=1, 2, 3,..} e {Bi ∈ b : i=1, 2, 3,..}, sendo a≠b (ou de bases diferentes), projetivas. Sabemos que fica determinada se as retas AiBi (i=1,2,3) forem concorrentes.
No caso da nossa construção A1B1.A2B2.A3B3={V}.
A imagem de qualquer ponto de a, Ai, é um ponto Bi de b obtido como interseção de V.Ai com b.
Chamamos ainda a atenção para no caso de a e b serem concorrentes, haver um ponto de a que é imagem de si próprio. Para A=B=a.b, a reta VA (do feixe por V) interseta b em B=A. Diz-se que a.b é um ponto duplo já que é simultaneamente original e imagem para essa perspetividade. É o único ponto duplo para essa perspetividade.
Na nossa construção, também determinamos a imagem do ponto do infinito de a que é a interseção da reta VA com a reta b, VA.b=A'. Por essa perspetividade, o ponto B'=VB.a é o original do ponto do infinito de b, B.

Por favor habilite Java para uma construção interativa (com Cinderella).
Na figura, pode fazer variar os pontos visíveis.

Aos pontos correspondentes por homografia aos pontos do infinito de cada pontual chamamos pontos limite dessa homografia. Aos pontos que são imagens de si mesmos por uma homografia chamamos pontos duplos dessa homografia.
F. I. Asensi, Geometria Descriptiva Superior y Aplicada. Editorial Dosssat, S.A. Madrid:1980
Richter-Gebert. Perspectives on Projective Geometry. Springer. Berlin:2011
H. S. M. Coxeter, Projective Geometry, Springer. NY:1994
C.F. Klein, Elementary Mathematics from an advanced standpoint - Geometry Dover Publications, inc. New York:2004